segunda-feira, 28 de março de 2016

O momento mágico - será? Parte I

Oi meus queridinhos!

Vim contar um pouquinho da minha gravidez para vocês, todos dizem que é o momento mágico que toda mulher passa e que deveria passar. Gente, quem disse isso? (Enquanto escrevo o post a Nicole esta do meu lado meio dormindo e meio chorando).
Não é tudo mágico como dizem, tem claro o seu lado bom, mas o lado ruim é bem grande também!
Lembrando que não estou aqui para critica esse momento das mulheres, mas gosto de dar a minha opinião sobre o assunto e estou aqui para contar sobre a minha gravidez, antes que alguém fale algo, certo?


Graças a Deus eu tive uma gravidez tranquila demais, sei que muitas mamães passam por diversos problemas durantes os 9 meses (ou 40 semanas).
Descobri a gravidez com 2 semanas através de um teste de farmácia que fala com quantas semanas você está. É claro que eu e meu marido não nos contentamos só com 1 teste, fizemos dois de farmácia e logo corremos para fazer o de sangue no laboratório para saber se era mesmo verdade. Quando deu positivo no de sangue, caímos em nós e percebemos que íamos ter um baby em 9 meses. 




Não sabíamos se era bom ou ruim, pois tudo o que havíamos planejado para aquele ano juntos iria mudar completamente. Meu marido sempre quis ter um filho e eu embora quisesse também, não estava nos meus planos tão cedo. Embora sabia que se acontecesse iria assumir essa responsa! E foi o que aconteceu, a partir daí começamos a nos planejar e arrumar as coisas para vivermos juntos, afinal não dava para ter um bebê e cada um morar na casa dos pais. 

Quem disse que seria fácil? O difícil foi guardar esse segredo até um mês pelo menos para contar para as famílias. Contamos para minha família em um reunião na casa da minha vó, estavam todos reunidos comemorando (não lembro o que) e achamos que seria uma ótima ideia. Foi engraçado, meu marido começou fazendo um discurso de bom homem, até porque meu pai estava presente e a reação dele era o que mais estávamos esperando (eu tenho dois pais - só pra vocês entenderem) e nos fim todos ficaram chocados com a notícia, mas bem felizes. E claro que os palpites de mãe, tia, vó começaram já nesse dia.
Contar para a família dele foi um pouco mais fácil e a reação da mãe dele foi bem inesperada: ela chorou de emoção! Foi surpreendente.
E por último foi a parte mais difícil e demoramos um pouco mais para contar ao meu pai (lembra que eu tenho dois, ok?), foi horrível! Confesso que escolhi uma data péssima para contar (dia dos pais e aniversário dele - era no mesmo dia), estavam todos na casa dele comemorando e quando contei ele nem olhou na minha cara e disse que foi a maior decepção que ele teve comigo. Claro que sai de lá chorando, aos prantos. Foi a pior sensação que tive em anos na minha vida. Levou uns bons meses para ele se acostumar com a ideia e me pedir desculpas e hoje ele é um avô suuuuuper babão! 



Irmãos!

A partir daí foi mais fácil adaptar tudo, parece que tiramos um peso das costas. E começaram os preparativos ... foi incrível montar o quartinho e ver todos se empenharem e nos ajudar para que tudo desse certo. Prometo que vou fazer um post detalhado do quartinho da Nicole para vocês.


Marido.

Desculpa pelo big texto, mas essa é só a primeira parte meus queridos. Ainda vou contar para vocês como foi minha gravidez até o final ... aguardem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário