quinta-feira, 7 de julho de 2016

A difícil escolha: babá ou berçário?

Quando o assunto é deixar os pequenos para poder trabalhar, tudo na nossa cabeça de mãe acaba virando um reboliço. Até porque não é apenas deixar e pronto, precisamos pensar em cada detalhe da rotina deles e da nossa e o quanto isso afetará em nossas vidas.

Nós preparamos tudo com muito amor e carinho durante 9 meses de gestação até a chegada do baby, ficamos bem mais seletivas com tudo, alimentação, saúde, rotina e até as amizades entram na dança. Fazemos de tudo o possível para sair perfeito a chegada do bebê, mas o que menos nos preocupamos nessa hora é a volta ao trabalho. E por isso já é importante vocês lembrarem que isso é algo que deve ser preparado também, mesmo ainda na gravidez.
Com a Nicole eu não tive muita preocupação com isso, confesso. Mas sei que muitas mamães tem e quero poder ajudar nas observações que devem ser feitas ao realizar esta escolha.


No meu caso a minha pequena esta aos cuidados da minha querida vózinha, que cuidou de todos os filhos de todos os netos e se ofereceu em ficar com a primeira bisneta. Não pensei nem duas vezes ao dizer que sim, até porque estava com rem orso de deixar ela na escolhinha com tão pouca idade. Eis que a bendita vózinha topou ficar com ela e não poderia ser escolha melhor, já que foi ela quem me ajudou durante o meu pós parto e foi com ela que a Nicole se acostumou em ficar desde dessa época. Ela é maravilhosa e tem um amor indescritível pela bisneta, a Nicole se adaptou muito fácil a tudo (embora ela seja uma bebê bem dada com todo mundo). Antes deu voltar a trabalhar, procurava acrescentar em nossa rotina 1 ou 2 horas de adaptação (como falei em outro post) e foi o que deu super certo.
Bom, mesmo assim eu li muito sobre esse tema e sei como isso é preocupante e não deixo de pensar em caso aconteça algo como deixarei a Nicole.
Eu sempre achei que deixar a criança em casa pelo menos até ela completar 1 aninho é o ideal, até porque a minha visão de berçário é que minha filha seria mais uma ali, ao invés de ter todo o cuidado que eu sempre imaginei, pode ser que eu esteja errada, mas é a minha opinião. Além de que em casa ele terá toda a supervisão e cuidado rápido caso aconteça alguma coisa, além de ser um pouco mais resistente as doenças. Se puder prefira essa opção, deixar em casa com certeza não irá atrapalhar no desenvolvimento da criança. 

Mas entendo que tem mães que não tem parentes e famílias próximas e também não tem confiança em deixar com uma babá. Assim a opção é escolher um berçário, mas tem algumas coisas a se avaliar na hora da escolha e não deixe de ser bem criteriosa:

- Avalie quantas pessoas trabalham no local e quantos bebês são de responsabilidade de cada pessoas;
- Não deixe de saber sobre a alimentação, em caso de comida verifique se a alimentação é balanceada, verifique o cardápio e em caso de leite, verifique como é feito o procedimento de deixar o leite materno ou até mesmo a fórmula;
- Avalie a segurança do local, como escadas e tomadas por perto;
- Onde o bebê irá dormir no momento da soneca, se o local é apropriado;
- Onde o bebê ficará enquanto estiver acordado, o que ele irá fazer e como será estimulado;
- Verifique a higiene do local, tanto na cozinha como no berçário;
- Não deixe de conhecer pessoalmente todas as pessoas que trabalham lá e que cuidaram do seu filho;
- Como são feitos os procedimentos de primeiros socorros caso aconteça alguma coisa e se os pais são avisados;
- Verifique se há câmeras e se são monitorados (aconselho dar preferência a esses ambientes);
- Faça questão de conhecer o currículo das pessoas que trabalham lá e pedir opinião dos próprios colegas de trabalho daquela pessoa;
- Analise se tudo o que se passa com seu filho é relatado em uma agenda ou algum meio de comunicação, é muito importante saber o que ele comeu, se ficou mal, se precisou de algum cuidado especial ou até mesmo se o comportamento tiver alguma alteração.


Imagem retirada: Peixinho feliz


Depois de todas as avaliações feitas e se achar que é ali o lugar, tenha em mente que a adaptação da criança é necessária, nada de deixar para o último minuto e ir trabalhar sem saber como vai ser. Se prepare com antecedência, até as tias do berçário agradecem.

Caso você prefira uma babá, também há considerações a pensar e fazer:

- Seja criteriosa e verifique muito bem o currículo;
- Veja se tem alguma formação e se sabe lidar com situações de emergência;
- Procure referências de outras famílias;
- Não deixe de avaliar se ela simpatiza com crianças pequenas e se tem experiência com essa faixa etária.


Imagem: Donna


Assim como a escolha da escola, você deve se antecipar ao escolher a babá. Assim você terá um tempo para conhecê-la e treinar a sua maneira. Conseguirá criar um certa intimidade e também analisar se o seu filho se dá bem aos cuidados dela, tente conviver com ela o máximo que conseguir antes de sair de casa para trabalhar. Lembre-se que ela cuidará do seu bem mais precioso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário