quinta-feira, 21 de julho de 2016

Refluxo x Regurgitação - O que é?

Quando a Nicole nasceu o meu maior medo era dela ter Refluxo.


Imagem retirada do Google

O Refluxo é quando o alimento que foi ingerido volta do estômago para o esôfago. Muito comum entre as pessoas, as vezes é imperceptível, pode ser considerado algo normal se não for frequente e /ou causar complicações. Nos adultos o refluxo é mais controlado pois o organismo já esta mais amadurecido e o mesmo faz sozinho a devolução do alimento antes mesmo de causa irritações, ânsias de vômitos e náuseas.

Nos bebês é algo que deve ser acompanhado de perto, pois o mecanismo que devolve o alimento para o estômago ainda não esta totalmente desenvolvido, o desenvolvimento se dá até o primeiro ano de vida. A válvula (esfíncter) que é responsável pela passagem do alimento ainda não esta totalmente desenvolvida, fica mais tempo relaxada ou ainda está enfraquecida, o que facilita o alimento voltar ao esôfago. O que também influencia nestes casos é a posição que o bebê esta, como eles passam a maior parte deitadinhos, isso facilita o escape do alimento por essa válvula. O refluxo tende a diminuir conforme o bebê cresce e começa a ingerir alimentos mais sólidos.
Acontece muito logo após as refeições e durante a noite quando o bebê passa mais tempo na posição horizontal e tende a salivar menos. Cerca de 40% dos bebês apresentam um tipo de refluxo, mas poucos se tornam uma doença grave e persistente até a fase adulta. Podemos considerar o refluxo, mais como um incômodo temporário.

O refluxo é muito confundido com o regurgitamento, pois o bebê pode regurgitar ou até mesmo vomitar um pouco de leite depois da mamada, sem ter nenhuma causa.As vezes podemos perceber o bebê tossir depois de colocar pra fora, assim como nós adultos, parecendo que o alimento foi para o lugar errado. Para crianças de até um ano, tudo isso é considerado normal. Faz parte da maternidade andar sempre com uma paninho de boca e uma blusinha extra para a mamãe para esse tipo de acontecimento, devemos estar sempre prevenidas não é?

Não há diferença se o bebê mama leite materno ou fórmula infantil, pode ser observado refluxo e regurgitamento nos dois casos. Por isso mamães não se culpem, ok? Se o seu bebê esta regurgitando em grande quantidade, perdendo peso e isso esta causando incômodos e irritações, deve ser consultado um pediatra pois o quadro de refluxo pode ser grave, então é necessário o acompanhamento médico.
Nunca deixe de comentar com o pediatra o que estiver acontecendo, assim ele poderá auxiliá-la e até mesmo acompanhar para ver o que esta acontecendo. É possível fazer um exame mais detalhado para saber se o bebê tem mesmo refluxo, se for o caso de não conseguir um diagnóstico detalhado apenas com a descrição dos sintomas.
É possível tentar amenizar o problemas com algumas coisinhas que pode ser feitas em casa. 
Manter o bebê ereto por 20 minutos depois de cada mamada e ao colocar no berço, deixar a cabeça da criança elevada. Evitar segurar o bebê muitas horas sem mamar, um grande espaçamento entre as mamadas faz com que o bebê mame mais e mais rápido, o que pode provocar com mais facilidade o regurgitamento e até mesmo vômitos. Então aumentar a frequência das mamadas pode ser uma
solução, assim ele vai mamar menos e com mais frequência, fazendo com que a quantidade de leite ingerida seja mais limitada.


Imagem retirada do Google

Alguns médico até pedem para as mamães cortarem da sua alimentação leite e derivados, pois o refluxo pode ser por conta de alergias nas proteínas que contém no leite de vaca, assim também como nos bebês que tomam fórmula (a fórmula tem proteínas de leite de vaca), para isso existem as fórmulas específicas para os bebês com refluxo. Foi o que aconteceu comigo, para averiguarmos melhor o porque da Nicole regurgitar tanto e acharmos que estava com refluxo, tive que trocar a fórmula que ela tomava e cortar da minha dieta leite e derivados. Vou falar sobre fórmula infantil em outro post!

Em casos mais graves o pediatra pode prescrever algum remédio antirreflexo, pedir exames mais detalhados ou até mesmo produtos para engrossar o leite. Contando que ele pode também pedir para que o bebê passe por uma avaliação de um gastroenterologista. Esses tratamentos só são realmente precisos se o refluxo atrapalha a vida da criança. Caso contrário medidas mais leves podem ser tomadas. Bebês que regurgitam mais que os outros existem também, mas se isso não traz nenhum desconforto, nenhum tratamento é de fato necessário.

O refluxo se torna bem grave caso o bebe esteja perdendo bastante peso, ou percam o apetito devido o desconforto causado pelo ácido. Tem o risco de se desenvolver uma inflamação na mucosa do esôfago, o que pode provocar problemas bem sérios no futuro. Problemas respiratórios podem ser desenvolvidos também caso a regurgitação ou vômito entrem pelo sistema respiratório do bebê, como pneumonia aspirativa, sinusite, ou até mesmo otite. Além do mais, o ácido estomacal pode prejudicar os dentinhos da criança.
O refluxo pode prejudicar muito a vida da criança, mas podemos nos consolar em saber que ele vai embora sozinho e todo esse sofrimento vai acabar e apenas virar meras lembranças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário