terça-feira, 9 de agosto de 2016

Fórmula Infantil: como escolher a certa?

Todo mundo ouve falar que o leite materno é o único alimento mais indicado para o bebê até os seis meses de idade, de acordo com o Ministério da Saúde e também pela Organização Mundial da Saúde. Mas sabemos que nem sempre isso é possível no mundo materno e por uma série de motivos a fórmula infantil é introduzida na alimentação do recém nascido.
A fórmula infantil é vendida em pó e enlatada, com certas dosagens para cada mês que o bebê atingir e deve ser dissolvida em água. 
Quando vamos ao supermercado comprar, nos deparamos com uma grande variedade de fórmulas infantis, mas como saber qual é a fórmula certa para dar a sua criança?

Imagem retirada do Google

É possível encontrar quatro tipos nos mercados e farmácias: as que são à base de leite, sem lactose, à base de soja e as hipoalergênicas. As marcas variam bastante e os valores também. Para saber a melhor que deve ser utilizada, precisa ser levadas em consideração a idade da criança, o estado de saúde, o custo e as necessidades alimentares. Deve ser acompanhado pelo pediatra para que a mãe saiba de todas essas necessidades.

Para que vocês entendam um pouquinho melhor, eu conversei com o meu pediatra e pesquisei bastante para poder introduzir a fórmula na Nicole.

Crianças de 0 a 6 meses - Fase 1: Essas são chamadas de fórmulas de partida, em sua composição existe todos os nutrientes para crianças saudáveis na faixa etária de 0 a 6 meses de idade. São leites que tem a proximidade maior do leite materno.

Crianças de 6 a 12 meses - Fase 2: Essas fórmulas já são indicadas para o segundo semestre da vida da criança, além de todos os nutrientes que contém na Fase 1, o teor de ferro é mais alto.

Crianças com refluxo - AR ou Antirrefluxo: Essa fórmula é desenvolvida para crianças com alto nível de regurgitação, ou seja, que tenha refluxo. Ela é um pouco mais grossa e mais complicada de preparar, pois além de todas as proteínas que contém nas fórmulas infantis tradicionais, contém amido de arroz, o que ajuda a minimizar o refluxo do bebê.

Crianças com intolerância a lactose - SL ou HA - Hipoalergênicas: Essa fórmula foi criada para crianças com intolerância a lactose, ou seja, que tenha algum tipo de alergia a esse carboidrato. Geralmente esses bebês passaram por algum quadro de diarreia que tenha alterado a flora intestinal. Esses bebês que desenvolvem isso geralmente é passageiro e podem voltar a tomar leite normal com algum tempo, claro que orientação do pediatra.

À base de soja: Para crianças que tenham alergia ao leite de vaca (APLV), são substitutos do leite materno, em sua maioria depois dos 6 meses de idade. Pode ser utilizado também por bebês com intolerância a lactose ou até mesmo por famílias que tem como prática alimentar, o vegetarianismo. Essas fórmulas tem a sua composição a base de soja, livre de sacarose e lactose.

Fórmulas diferenciadas: O mercado de fórmulas infantis esta sempre inovando e nas prateleiras conseguimos encontrar ainda, leites diferenciados e específicos para cada tipo de coisa, como por exemplo, ajudar com as cólicas, constipação intestinal. Com ingredientes diferentes para cada tipo de coisa. Porém não adianta sair comprando para testar, tem que ter orientação do pediatra.

Mais uma dica: bebês que tomam fórmula precisam beber água. É muito importante dar água, a não ser pelo leite materno que já é produzido para também matar a sede da criança.

Muitas crianças precisam se adaptar ao leite, nem sempre o primeiro que você dá, que será o que ela irá tomar até parar. Nem sempre se adapta ao gosto, constipação, cólicas e outros motivos, Com acompanhamento do pediatra, você poderá ir trocando de leite até a adaptação ser completa. Passei por três marcas diferentes com a Nicole e dentre elas por 4 tipos diferentes, o que ela mais se adaptou foi o Aptamil Premium - Fase 1 (Danone), porém estou testando a alguns dias o Enfamil Premium 1 (Mead Johnson) e até agora esta sendo bem aceita!

Lembrando que jamais deve ser oferecido o leite de vaca na impossibilidade do leite materno, isso prejudica o desenvolvimento da criança e por isso são desenvolvidas as fórmulas infantis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário