segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Baby Blues - o que é isso?

Já ouviram falar em Baby Blues? Eu já e não fazia ideia do que era isso.

Muitas mães com quem já conversei haviam me dito ter sofrido de Baby Blues e que foi uma fase muito difícil e complicada para elas. Ai sabe quando, você balança a cabeça, concorda, mas não tem ideia do que estão falando? Eu estava assim, até que resolvi entender o que era esse dito cujo e vim compartilhar com vocês. 

Imagem retirada zazou.com.br

Essa melancolia que as mães experimentam após o parto, pode ser facilmente confundida com a depressão pós parto, mas as duas coisas são bem diferentes e devemos ficar atentas para não nos confundir. 

Também conhecido como blues puerperal, acontece logo após a chegada do bebê e esta muito ligada aos hormônios. Temos uma mudança hormonal repentina que ocorrem durante e após o parto e acaba afetando a mamãe. Esse tipo de coisa passa naturalmente, não necessita de tratamento médico e nem vai causar nenhum dano ao bebê, depois que os hormônios se ajustam o baby blues passa.

Baby Blues nada mais é do que uma melancolia esquisita, uma tristeza que te ocorre em alguns momentos do dia, não é 100% do seu tempo que você sentirá isso. Os médicos alegam que o baby blues duram poucos dias, no máximo duas ou três semanas. 

Tudo o que você precisa neste momento de tristeza é paciência consigo mesma. Você precisa se dar uma folga e não se preocupar em estar feliz 24h do seu dia porque acabou de ter um bebê. Caso você tenha esse sintoma de tristeza, respeite-o e entenda esse momento. As pessoas que estão ao seu redor também precisam dessa paciência e irão respeitar o seu momento, se sentir acolhida e ter o apoio das pessoas com certeza irá te fazer bem.

Peça ajuda a quem esta ao seu redor para que cuide do bebê para que você tenha tempo de tomar uma banho tranquilamente, não precisar comer correndo e até mesmo para descansar um pouco mais. Desabafar e conversar sobre os seus sentimentos também ajudam neste momento e ainda podem lhe render um ombro amigo. O melhor remédio nessas horas é o acolhimento e a paciência. 

É normal sentir essa mudança, não só no seu corpo, mas na sua vida. São muitas coisas para administrar com a chegada do novo membro da família, são muitas novidades e a confusão pode aparecer sim, se for mamãe de primeira viagem então, é mais fácil de ficar com a cabeça cheia. 

Não se sinta culpada, converse com outras mamães e veja o que elas tem a dizer, se esse sentimento for muito intenso e não te der nenhuma folguinha durante o dia, converse com o seu médico a respeito do que pode ser feito e claro que também se você se sentir incapacitada de cuidar do bebê e sentir que a situação esta fora de controle.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Depressão Pós Parto - ela existe!

Olá queridinhos.

Eu sumi, eu sei ... Muitas coisas aconteceram, eu mudei de casa e o fato de não querer escrever e o desânimo para tal, estava me afetando. Então, resolvi procurar o que estava acontecendo e resolvi compartilhar com vocês!

Imagem retirada do Google
Depois que virei mãe, muitas coisas mudaram. Eu sempre fui muito bem elogiada pela minha personalidade. De estar sempre rodeada de amigos, de estar alegre, de bom humor e sempre sorrindo pra vida. Mas de uns tempos pra cá percebi que tudo isso tem mudado e piorado bem o meu estado de espírito. Meus amigos sumiram, não tenho vontade de nada, me sinto culpada e com raiva o tempo todo e ainda mais o desânimo com o meu corpo!

A mulher esta sempre em constante mudança e muito do seu organismo rege pelo seus hormônios, quando há alguma alteração neles, parece que você sofre com isso. E a fase de gravidez é um período muito conturbado (não deixando a felicidade de lado é claro), seu corpo muda, seu ânimo, sua auto - estima, sua alegria e principalmente os seus hormônios também fazem parte dessa mudança. 
Nada comparado a felicidade de dar a luz e ter o bebê em seus braços, mas nem sempre essa felicidade dura por muito tempo. A famosa "depressão pós parto" entra em ação e acaba com a tal felicidade. 
Mas o que muitos não sabem é que a depressão pós parto nem sempre é imediata e nem sempre é depressão, alguns estudos apontam novas descobertas nessa fase da mulher.

"Estudos de 2013 apontam que 14% de 10 mil mulheres que foram entrevistadas sofreram de depressão entre quatro e seis semanas após o parto, mas um terço delas constataram que a depressão começou ainda durante a gravidez." Retirado da Folha.

Ou seja, com as alterações de humor constantes, dificuldades para dormir e comer durante a gravidez passam despercebidas pois são sintomas considerados comuns, pois os mesmo sintomas também ocorrem em mulheres grávidas e que não estão deprimidas.

"Outro estudo de 2013, que entrevistou cerca de 461 mulheres duas semanas e seis meses após o parto, constatou que 11% delas apresentavam sintomas obsessivos - compulsivos, porém metade das mulheres melhorou em seis meses e a outra metade foi constatado o desenvolvimento de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)." Retirado da Folha.

A depressão pós parto pode ocorrer tardiamente também, muito propenso a aparecer no primeiro ano de vida do bebê, deve-se ficar atento aos sintomas para não ser confundido com baby blues. Depressão é algo mais grave e precisa de apoio psicológico.
Na gravidez os nosso hormônios se alteram e o nível deles é bem alto, quando damos a luz, esses hormônios despencam, fazendo com que haja constante alteração em nosso organismo.

O sintomas da depressão que devem ser observados atentamente são:

- Não ter prazer nas atividades de rotina
- Não ter motivação
- Insônia ou sonolência excessiva
- Falta de apetite
- Cansaço excessivo nas atividades diárias
- Sentimentos de culpa e incapacidade no cuidado do bebê
- Pensamentos negativos e com intenção de machucar
- Crises de choro ou raiva excessiva com questões banais do dia a dia 
- Falta de interação com o bebê

Se os sintomas durarem mais que duas semanas, é muito importante do auxilio de um especialista.
Entender que não temos culpa de que isso pode acontecer é essencial. Não é algo que esta no controle da mulher e pode ocorrer a qualquer momento durante o período gestacional ou após o parto.