quarta-feira, 19 de julho de 2017

Férias no inverno e ... temporada de resfriados







Basta chegar nessa época do ano que a famosa temporada dos resfriados dá as caras.
Gente, como é difícil entrar nas férias de Julho e não ter nenhuma incidência de que os resfriados não irão nos acompanhar. 
Seja papai, mamãe, vovó e até mesmo a criança. Tem sempre um que acaba pegando e vira aquele drama de um passa para o outro.

Imagem relacionada
Imagem retirada do Google
Mas falando nos pimpolhos, a grande facilidade de acabar pegando um vírus é grande, pois o sistema imunológico do bebê ainda é bem fraco, ainda esta em fase de desenvolvimento e acaba ficando vulnerável em alguma épocas do ano. Só de imaginar que existem bem mais que 200 vírus comuns e semelhantes ao nosso resfriado, ainda vai levar um tempinho para que ele fique imune a todos eles.

Imagem relacionada
Imagem retirada do Google


O comum que agrava essas doenças respiratórias virais é uma fase de desenvolvimento que afeta até mais ou menos os três anos de idade, pois aquela imunidade que o bebê garante até o final da gravidez já acabou, ou seja não estão mais presentes no corpo da criança e os anticorpos dela ainda estão aumentando lentamente e potencialmente. 

Como sabemos, crianças são exploradoras e adoram descobrir o novo mundo, então imagina só a quantidade de germes e bactérias que elas ingerem, aspiram ao colocar as mãozinhas na boca, nos olhos, no nariz. É bem rapidinho para um vírus se instalar no organismo e acarretar qualquer tipo de doença. 

Nesta época do ano é comum os vírus se proliferarem, pois estamos sempre em ambientes fechados devido ao frio e acaba passando de pessoa para pessoa, o contágio é mais comum através da saliva (quando uma pessoa, espirra ou tosse), é possível aspirar os vírus que estão instalados em outras pessoas, só de ter contato. Por isso é sempre importante lavar bem as mãos e evitar espirrar ou tossir em cima de outra pessoa (fora a educação, certo?). Nosso nariz no frio também se torna suscetível à entrada de microrganismos, devido a membrana estar mais fragilizada.

Vocês sabiam que uma criança pode pegar de 6 a 10 resfriados no ano, já um adulto é no máximo 4. Frequentando lugares mais movimentados e com maior circulação de pessoas ou crianças, essa quantidade pode aumentar.

Como diferenciar o resfriado de outro vírus?

Você pode perceber pelo sintomas, durante o resfriado a coriza e o catarro estão presentes. A criança ou o adulto pode ter uma febre bem baixa e até chegar a tossir. 
Se a criança ainda estiver tendo uma febre fora do "normal", não estiver comendo, andar abatido, ai é sinal de alerta porque pode ser algo mais sério.

O resfriado tem características semelhantes, porém a criança ou o adulto ainda tem pique para continuar as suas rotinas, brincando, comendo e dormindo.

Resultado de imagem para resfriado criança desenho
Imagem retirada do leiturinha.com

Mantenha sempre a hidratação da criança, evite lugares sem circulação de ar e grande aglomeração de pessoas e faça o possível para manter o ar umidificado.
Bebês ainda não sabem expelir catarro, então busque lavar o narizinho com soro fisiológico e com a ajuda de certos aparelhos puxar o catarro para fora.


Resultado de imagem para resfriado criança desenho
Imagem retirada do Google
Não há muito o que fazer no caso da criança já ter pego um resfriado, o melhor a ser feito é cuidar com muito carinho e ter paciência, buscar coisas que a deixem confortável e estar sempre de olho e consultando o pediatra para ter um melhor resultado aos medicamentos.



E mesmo com tudo isso, ainda são férias e quem não gosta de aproveitar, mesmo com o friozinho?




Nenhum comentário:

Postar um comentário