quinta-feira, 29 de março de 2018

Encontro de Mães e Gestantes Oficial - 24/03

Oi Oi Pessoal!

Venho compartilhar por aqui o encontro materno que aconteceu na última semana e tivemos presente prestigiando mais uma forma de compartilhar informações do mundo materno.

Aconteceu na tarde do dia 24/03 no Espaço da Fetes Locadora o encontro @encontrodemaesoficial, contou com quase 100 mamães e acompanhantes presentes, além é claro dos babys lindos fazendo a maior folia. Estava um dia muito lindo de sol, o que contribuiu para que o evento fosse um sucesso.


terça-feira, 27 de março de 2018

Eu escolhi Cesárea - Relato de Parto - Parte II

Oi oi oi pessoal!

Não poderia deixar de terminar esse relato e nesta parte contarei os detalhes mais emocionantes da minha vida!

Bom, vamos lá preparem os lencinhos... hahaha!
Logo após que tomei a anestesia, como eu falei na Parte I, eu não senti nem a agulha entrando e muito menos o líquido. Quando ele disse: acabei, deite-se, eu logo achei estranho e falei: nossa já? e risadas ecoaram na sala.
Deitei bem rápido conforme as instruções dele e foi BA-TA-TA em 2 minutos eu não sentia mais nada da cintura para baixo. As únicas coisas que podia sentir era puxões e repuxões, digo isso porque a primeira coisa que senti neste quesito foi no momento em que colocaram a sonda.
Neste momento vieram mais instruções como: você deve respirar fundo quando eu falar, você pode ficar de olhos fechados se quiser e abstraia da sua mente tudo o que for dito e não seja relacionado ao parto (essa parte foi hilária). Gente, nesse momento eu só me perguntava: cadê o meu marido que não está aqui! Estava sentindo uma agonia por dentro, não entendia porque ele não chegava logo pra me acalmar.

O anestesista disse: Vamos começar, ok? Foi ai que entrei em pânico e disse: não podemos esperar o Pedro mais um pouquinho? Então veio a resposta que iluminou meu coração: fique tranquila, ele já esta se trocando e vai entrar no momento certo! - Ufa, que alivio que me deu! :)

Então fechei os olhos e apenas pedi a Deus que trouxesse minha princesa ao mundo com muita saúde e nos guiasse para um momento maravilhoso. Fui ouvindo os médicos conversarem e o meu médico chegou na sala, me cumprimentou e me tranquilizou dizendo que logo acabaria e a princesa estaria conosco. De olhos fechados permaneci apenas ouvindo a conversa sobre o churrasco do final de semana e sentindo o cheiro de queimado horrível (era o cheiro da pele sendo cortada). Só abri os olhos quando ouvi um: Oi amor, esta tudo bem viu? Eu estou aqui!
Eu estava meio tonta, porém meu coração encheu de alegria e felicidade quando ouvi meu marido falando ao meu lado, foi como se tivesse um anjo me abraçando.

A família estava lá do lado de fora esperando na janelinha (no Hospital Santa Joana tem uma janela em que fica transparente no momento em que o bebê sai da barriga).

Para mim parece que foi uma eternidade, mas foram 10 minutos contados no relógio, dá pra acreditar?
Foi então que o anestesista pediu para eu respirar fundo, pois iria sentir um puxão. Contamos até 3 juntos, pronto, respirei e só ouvi um chorinho lá no fundo! Morri de emoção e comecei a chorar...


segunda-feira, 12 de março de 2018

Eu escolhi Cesárea! Relato de Parto - Parte I

Oi oi pessoal!

Depois de 2 anos do nascimento da Nicole, resolvi vir fazer o relato do meu parto para vocês. 
Não foi nada frustrante e nem fora da minha vontade, muito pelo contrário, posso dizer que foi uma experiência linda e que fiz a escolha certa.

Antes de tudo, venho dizer que não tenho nada contra as mamães que escolhem pelo método natural, normal e outros mais se houver... Mas deixo claro que fui muito feliz em minha escolha.
Sim, eu fiz cesárea por opção! 

Quando engravidei não imaginava a quantidade de coisas que deveria pensar e fazer e confesso que o parto foi a única coisa que em primeiro momento eu já tinha decidido (ou pensava que tinha), afinal, já que entrou de alguma forma tem que sair. E eu como boa cagona, estava morrendo de medo.
Meu ginecologista e também obstetra (Graças a Deus) me acompanhou do começo ao fim, me dando todos os detalhes do que seria melhor para minha saúde e da Nicole. Me explicou tudo sobre o vários tipos de partos que existem e pediu para eu refletir sobre cada um deles, antes deu fazer minha escolha. Gente, sinceramente eu tava morrendo de medo de parto normal e vi diversos relatos assustadores. A princípio foi o que me fez escolher pela Cesárea, acreditem ou não fui muito criticada por essa escolha (não pela minha família, já que a maioria tinha feito o mesmo que eu, tirando avós e outros pra trás), todos diziam que o médico estava com preguiça e que estava me forçando a esta escolha. A partir daí, resolvi guardar os meus motivos, pois se eu dissesse com certeza seria criticada, mas o fato é que não vejo razão por escolher normal já que a medicina tem evoluído tanto para que não precisemos sofrer com esse tipo de dor. Enfim, chega de drama e voltemos ao dia mais lindo da minha vida.

Minha gravidez foi bem saudável, engordei 10kg ao todo (só de barriga) e com muitos elogios do médico por isso. Passei por todos os dilemas de uma grávida, com certeza isso não muda. Percebi ao longo das 38 semanas que já não estava mais conseguindo nem me locomover direito, foi daí que marcamos a Cesárea, sim minha gente, a Nicole nasceu de 38 semanas por que eu quis!
Escolhi o Hospital Santa Joana (incrível e sem nenhuma reclamação), tive relatos muito bons do hospital e que sobrepuseram os ruins e também o que contou na minha decisão foi que o meu Obstetra tinha uma equipe já programada lá e sairia do meu bolso se eu deslocasse ele e toda a equipe para outro hospital (nesse caso o meu convênio cobriu o parto e tudo o que precisei). 
Marcamos o horário (12h), mas as 6h da manhã já estávamos no hospital para os preparativos. Sofri demais pois estava de jejum e assim fiquei até voltar para o quarto depois do nascimento da Nicole (tava chorando de tanta fome, o soro que eles colocam e falam que vai suprir, não supri nadica de nada, apenas fortalece para não desmaiar). Doeu mais pra colocar o soro na veia do que a anestesia, na qual se diga de passagem que era a parte que eu mais tinha medo. Ficava só imaginando aquela bendita agulha gigante nas minhas costas. 
Logo que chegamos no hospital (eu, marido e a caravana da família), passamos para o atendimento e todo aquele processo de solicitação de convênio, passado isso, vamos para uma salinha de orientação médica (digo vamos porque o pai ou o acompanhante faz todo o processo com você), lá eles te perguntam de tudo e até te depilam caso você não tenha se depilado (isso é solicitação do tipo de parto, pedem até para não pintar as unhas e assim eles conseguem ter um controle do seu sangue nos dedos, engraçado né?). Coloquei aquela roupinha de cirurgia, sentei na cadeira de rodas e fui feliz de encontro com o que me esperava.
Hospital Santa Joana em SP