segunda-feira, 12 de março de 2018

Eu escolhi Cesárea! Relato de Parto - Parte I

Oi oi pessoal!

Depois de 2 anos do nascimento da Nicole, resolvi vir fazer o relato do meu parto para vocês. 
Não foi nada frustrante e nem fora da minha vontade, muito pelo contrário, posso dizer que foi uma experiência linda e que fiz a escolha certa.

Antes de tudo, venho dizer que não tenho nada contra as mamães que escolhem pelo método natural, normal e outros mais se houver... Mas deixo claro que fui muito feliz em minha escolha.
Sim, eu fiz cesárea por opção! 

Quando engravidei não imaginava a quantidade de coisas que deveria pensar e fazer e confesso que o parto foi a única coisa que em primeiro momento eu já tinha decidido (ou pensava que tinha), afinal, já que entrou de alguma forma tem que sair. E eu como boa cagona, estava morrendo de medo.
Meu ginecologista e também obstetra (Graças a Deus) me acompanhou do começo ao fim, me dando todos os detalhes do que seria melhor para minha saúde e da Nicole. Me explicou tudo sobre o vários tipos de partos que existem e pediu para eu refletir sobre cada um deles, antes deu fazer minha escolha. Gente, sinceramente eu tava morrendo de medo de parto normal e vi diversos relatos assustadores. A princípio foi o que me fez escolher pela Cesárea, acreditem ou não fui muito criticada por essa escolha (não pela minha família, já que a maioria tinha feito o mesmo que eu, tirando avós e outros pra trás), todos diziam que o médico estava com preguiça e que estava me forçando a esta escolha. A partir daí, resolvi guardar os meus motivos, pois se eu dissesse com certeza seria criticada, mas o fato é que não vejo razão por escolher normal já que a medicina tem evoluído tanto para que não precisemos sofrer com esse tipo de dor. Enfim, chega de drama e voltemos ao dia mais lindo da minha vida.

Minha gravidez foi bem saudável, engordei 10kg ao todo (só de barriga) e com muitos elogios do médico por isso. Passei por todos os dilemas de uma grávida, com certeza isso não muda. Percebi ao longo das 38 semanas que já não estava mais conseguindo nem me locomover direito, foi daí que marcamos a Cesárea, sim minha gente, a Nicole nasceu de 38 semanas por que eu quis!
Escolhi o Hospital Santa Joana (incrível e sem nenhuma reclamação), tive relatos muito bons do hospital e que sobrepuseram os ruins e também o que contou na minha decisão foi que o meu Obstetra tinha uma equipe já programada lá e sairia do meu bolso se eu deslocasse ele e toda a equipe para outro hospital (nesse caso o meu convênio cobriu o parto e tudo o que precisei). 
Marcamos o horário (12h), mas as 6h da manhã já estávamos no hospital para os preparativos. Sofri demais pois estava de jejum e assim fiquei até voltar para o quarto depois do nascimento da Nicole (tava chorando de tanta fome, o soro que eles colocam e falam que vai suprir, não supri nadica de nada, apenas fortalece para não desmaiar). Doeu mais pra colocar o soro na veia do que a anestesia, na qual se diga de passagem que era a parte que eu mais tinha medo. Ficava só imaginando aquela bendita agulha gigante nas minhas costas. 
Logo que chegamos no hospital (eu, marido e a caravana da família), passamos para o atendimento e todo aquele processo de solicitação de convênio, passado isso, vamos para uma salinha de orientação médica (digo vamos porque o pai ou o acompanhante faz todo o processo com você), lá eles te perguntam de tudo e até te depilam caso você não tenha se depilado (isso é solicitação do tipo de parto, pedem até para não pintar as unhas e assim eles conseguem ter um controle do seu sangue nos dedos, engraçado né?). Coloquei aquela roupinha de cirurgia, sentei na cadeira de rodas e fui feliz de encontro com o que me esperava.
Hospital Santa Joana em SP
Depois disso me separei do Pedro (ele foi para a sala de espera) e eu fui para uma sala onde ficavam todas as gravidinhas na espera do médico chegar para realizar o parto. O meu estava marcado para as 11:30. Nesta sala me colocaram no soro (furaram o dorso da minha mão para colocar o acesso, confesso que doeu mais que a anestesia) e ali fiquei desde as 7h da manhã. Me lembro de sentir muita fome e contar as enfermeiras, porém elas me diziam para tranquilizar pois o soro estava me alimentando! Conheci várias mães e várias histórias, dava para escrever um livro e tantas delas. Fiquei agoniada de ver as mães entrando e saindo para o parto e nada de chegar a minha vez, perguntava e perguntava e diziam que meu médico ainda não tinha chegado. A sala não era confortável, tinhas umas poltronas "normais" e depois de 4h estava morrendo de dor nas costas e na costela. Acabei me queixando para a enfermeira que me levou para outra sala (cheia de grávidas também rsrs - era uma infestação de mulher barrigudinha) e ali fiquei deitada e junto no soro uma medicação para aliviar as dores (ufa! a felicidade neste momento era de poder deitar como se não houvesse amanhã).
Dormi e dormi, fui acordada já quase indo para sala de parto, informada que meu médico acabara de chegar e que tinha ido fazer um parto e pediu para me preparar, lá fui eu tremendo mais que vara verde e cagando de medo. Neste caminho de uma sala para outra, só me lembro de perguntar as horas (12:00) e onde estava o Pedro (tava aterrorizada, pois queria que ele segurasse a minha mão durante a anestesia).

Me colocaram numa mesa de cirurgia e pediram para eu sentar, neste momento conheci a pessoa que ficaria ao meu lado o tempo todo e me explicaria tudo o que estava acontecendo: o Anestesista! Um anjo acreditem, confesso que não lembro o nome dele :(
Enquanto as enfermeiras arrumavam tudo, ele me pediu para ficar sentada e com as costas curvadas pois aplicaria em seguida a anestesia, antes, me explicou que tinha um efeito muito rápido e que logo após a picada e em seu comando eu deveria me deitar, pois em menos de 3 minutos não sentiria do bumbum pra baixo. Me tranquilizou dizendo que não sentiria dor nenhuma. Neste momento pedi que ele esperasse pois queria meu marido comigo e ele só me disse, não podemos esperar, estão procurando por ele e irá chegar em breve! Me descabelei nessa hora, como assim PROCURANDO por ele? Que raios ele foi fazer em outro lugar que não fosse na sala de espera conforme combinamos?
Mesmo assim tomei e coragem e falei: Ok, pode picar! Ele imediatamente ministrou a anestesia e para minha INCRÍVEL sorte, não senti nadaaa (oooh!).

Gente, eu juro que não senti nem a agulha entrando ou saindo, ou qualquer coisa que ela estivesse fazendo! Na hora que pedi a aplicação eu estava tremendo igual maluca, parecia que eu ia cair da mesa de cirurgia de tanta tremedeira. O anestesista até zuou minha cara, perguntando se eu estava me sentindo no polo norte ... hahaha.

Aaaah esse post ficou imenso, então vou fazer um Relato de Parto - parte 2!
Não vai perder a parte mais emocionante hein! :)

Resultado de imagem para gif de piscadinha


Nenhum comentário:

Postar um comentário